PORTUGAL:  ALTO MINHO - DISTRITO DE  VIANA DO CASTELO - CONCELHO DE MONÇÃO - FREGUESIA DE LAPELA


LINKS DA FREGUESIA

►              INÍCIO

►  RESENHA HISTÓRICA

►        BOAS-VINDAS

►     COLECTIVIDADES

►           IMAGENS

►       INFORMAÇÕES

►          HERÁLDICA

►          AUTARCAS

 

 RESENHA HISTÓRICA

 

Informação Sumária

ASPECTOS GEOGRÁFICOS

RESENHA HISTÓRICA

 

 

    Igreja Matriz                     Vista parcial da freguesia                    


 

Informação Sumária

 

Padroeiro: S. Lourenço.

Habitantes: 247 habitantes (I.N.E 2001) e 244 eleitores em 31-12-2003.

Sectores laborais: Agricultura e pecuária, vinicultura, pesca fluvial, pequeno comércio e pequena indústria.

Tradições festivas: S. Bento (11 de Julho), S. Lourenço (10 de Agosto).

Valores Patrimoniais e aspectos turísticos: Igreja paroquial, Torre de Lapela, Margens e Ínsua do rio Minho.

Gastronomia: Especialidades com lampreia, sável, truta e salmão.

Colectividades: Grupo Desportivo e Recreativo de Lapela.

 

 

ASPECTOS GEOGRÁFICOS

 

A ocupar uma área de cerca de 156 ha  e localizada a cerca de 6 km  a Poente da sede do Concelho de Monção, na margem esquerda do Rio Minho, que a separa  da Galiza, a Freguesia de Lapela  tem por limites a seguinte vizinhança:  a Norte  e a Nascente a Freguesia de Troporiz, a Sul a Freguesia de Lara e a Poente, além do rio Minho, também a Freguesia de Friestas do Concelho de Valença.

 

RESENHA HISTÓRICA 

 

Em termos históricos, bastaria que nos referíssemos ao passado da Torre de Lapela, para percebermos a antiguidade desta freguesia, como veremos na descrição abaixo, que se encontra no site www.monumentos.pt, antes porém recorremos ao livro "Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais Vol. 2 Norte Arquivos Nacionais /Torre do Tombo" encontramos a seguinte informação que se refere aos Registos da Paróquia:

«No catálogo das igrejas situadas no território de Entre Lima e Minho, pertencentes ao bispado de Tui, que o rei D. Dinis mandou elaborar, em 1320, São Lourenço de Lapela foi taxada em 90 libras. Enquadrava-se no arcediagado de Cerveira.

Em 1444, D. João I conseguiu do papa que este território fosse desmembrado do bispado de Tui, passando a pertencer ao de Ceuta, onde se manteve até 1512. Neste ano, o arcebispo de Braga, D. Diogo de Sousa, deu ao bispo de Ceuta a comarca eclesiástica de Olivença, recebendo em troca a de Valença do Minho.

Em 1513, o papa Leão X aprovou a permuta.

A igreja de São Lourenço de Lapela figura no registo da avaliação dos benefícios eclesiásticos da comarca de Valença, feito entre 1514 e 1532, com um rendimento de 29 réis e 6 pretos.

Na avaliação de 1546, feita no tempo do arcebispo D. Manuel de Sousa, São Lourenço de Lapela rendia 25 mil Réis.

Segundo Américo Costa, São Lourenço de Lapela foi vigairaria da apresentação do Colégio da Companhia de Jesus de Coimbra e depois da Universidade.

De um modo geral todos os livros que compõem este fundo encontram-se em mau estado de conservação».

 

Inventário do Património Arquitectónico

Em http://www.monumentos.pt

Informações detalhadas acerca de:

 

Torre de Lapela

 

Fontes consultadas: Inventário Colectivo dos registros Paroquiais Vol. 2 Norte Arquivos Nacionais /Torre do Tombo.